sábado, 29 de novembro de 2008

Kit de Mecânica 2

Encontramos muita dificuldade em montarmos os sistemas, mesmo seguindo os roteiros. Imagine então a dificuldade que os adolescentes sem nenhuma bagagem laboratorial sentirão!
Os ajustes requerem muita paciência e levamos aproximadamente duas horas desde a montagem até as mensurações requeridas. Logo, achamos que para as aulas de ensino médio público de 50 minutos no diurno e 40 minutos no noturno, essa experiência é de dificílima execução. Além disso, há uma incorreção no roteiro dado num dos exemplos: "Exemplo: a luminária da figura 1.4 está em equilíbrio estático.
Na luminária atuam as forças peso, p, e a força de tração T1.
Isolando a luminária (fig.1.4b), as forças que atuam sobre ela são:
T3 e P. Σ Fy = T3 – P = 0 T1 = P".
Na verdade, T3 = P, concordam?
Gostaria de receber comentários e sugestões dos colegas e formadores.
Obrigado pela atenção.

Eduardo Yoshikazu Nishitani

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Star Wars

Sobre Star Wars, alguns estudiosos dizem que não é Ficção Científica, pois não há explicações científicas inerentes nos filmes, que, diga-se de passagem, faz sucesso estrondoso provavelmente porque trabalha a questão do mito com espetaculares efeitos especiais. Quanto muito, Star Wars é considerado Ficção Científica "Soft". George Lucas, criador da obra, teve diálogos com um dos maiores mitólogos, Joseph Campbell (vide o livro "O poder do Mito") para inserir arquétipos na sua saga. Polêmica a parte, há o livro de [CAVELOS, Jeanne. A ciência de Star Wars (Guerra nas Estrelas). São Paulo: Market Books, 1999], por meio do qual os professores podem trabalhar diversas áreas científicas. Quanto a incorreções nos filmes como ruídos no espaço, trajetórias visíveis de raios etc. os educadores podem introduzir assuntos pertinentes alertando quanto aos erros científicos. Mas há questões emotivas atreladas a essa discussão, pois muito do apelo causado pelos efeitos especiais se perderia se todas as cenas fossem cientificamente corretas.

Eduardo Yoshikazu Nishitani

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Fotos dia 13-11-2008 - Palestra prof. Kawano e Mecânica com pucks

Máquina Termica - Demonstração


Máquina de Stirling remontada pelo prof. Kawano.

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Cor do Espelho

Numa das aulas sobre óptica, um aluno do segundo ano fez a pergunta: "Professor, qual é a cor do espelho?". Respondi que não sabia responder de imediato, que pesquisaria e que a pergunta é interessante. Será que alguém poderia me auxiliar? Agradeço por toda e qualquer ajuda.

Eduardo

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Fotos dia 06-11-08: Ótica Física e Mecânica

Física de Partículas na TV Cultura nesta 2a feira dia 10/11 as 19:30 hs

Não percam hoje na TV Cultura, o discreto charme das partículas.
Para saber mais clique aqui.

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Numa quinta-feira que não me lembro mais qual, em que mencionei sobre a utilização de filmes de Ficção Científica, citei o filme "O Homem Sem Sombra" e fiz a pergunta: "Um homem invisível seria cego?". Com essa indagação, pode-se iniciar a discussão sobre óptica associada a visão. A resposta é "sim, um homem invisível seria cego", pois a luz passaria por ele sem interagir com parte alguma de seu corpo, inclusive seus olhos, nervo ótico, cérebro etc. Enxergamos as coisas pela luz que nos sensibiliza, que estimula nosso sistema óptico e isso não ocorreria se fóssemos invisíveis ou "intangíveis" para os fótons.
E sobre a visão de raio-X do Super Homem? Alguém já parou para pensar? Creio que uma das justificativas de se utilizar obras de Ficção Científica nos meios educativos é a de que os jovens são atraídos por filmes de ficção, literatura fantástica, histórias em quadrinhos, games... que muitas vezes são revestidos de "pitadas de ciência" mescladas com muita imaginação, aventura e entretenimento.
Gostaria de receber comentários dos formadores e colegas.

terça-feira, 4 de novembro de 2008

sábado, 1 de novembro de 2008